quarta-feira, janeiro 19, 2011

BIO-FILMO: SUSANNAH YORK

Nascida a 9 de Janeiro de 1939, em Londres, Grã-Bretanha
Falecida a 14 de Janeiro de 2011, em Londres, Grã-Bretanha
  
«I hated being labeled a “film star”. I am an actress. I did not want to have an image, be seen as the blue-eyed, golden-haired ingénue»

Susannah York não queria ser recordada como uma estrela loura e ingénua, de olhos azuis. Mas para além dos seus inegáveis dotes de actriz aquela sua extraordinária fisionomia ficará sem dúvida na memória de quantos viram os seus filmes, sobretudo os rodados nas décadas de 60 e 70. Nasceu no bairro de Chelsea, em Londres, com o nome de Susannah Yolande Fletcher, mas cresceu numa remota vila da Escócia. Tinha 6 anos quando os pais se divorciaram. No regresso a Londres, inicia a sua aprendizagem como actriz na Academia Real de Arte Dramática, onde é distinguida com um prémio para a estudante mais promissora.
Depois de representações em diversos clássicos, e de uma curta passagem pela rádio, dá nas vistas na produção televisiva “The Crucible” (1959), onde contracena com Sean Connery. No ano seguinte estreia-se no cinema como filha de Alec Guinness no drama de guerra “Tunes of Glory”. “Freud” (que lhe traz a primeira nomeação para um Globo de Ouro), com Montgomery Clift e “Tom Jones”, com Albert Finney, são os filmes mais conhecidos do início da década de 60 e que lhe começam a trazer notoriedade junto ao grande público. Depois da sua participação no oscarizado “A Man for All Seasons” (1966) vêm os filmes que definitivamente a impõem como actriz: “The Killing of Sister George”, em 1968, uma comédia de humor negro e contornos lesbianos (contendo cenas de masturbação que na época fizeram escândalo), e sobretudo o magnífico filme de Sydney Pollack, “They Shoot Horses, Don’t They?” (1969), que lhe traz nomeações para o Oscar e o Globo de Ouro da melhor actriz secundária e a premeia em Inglaterra com o BAFTA para a mesma categoria.
 
Em 1972 Robert Altman convida-a para o papel de uma esquizofrénica escritora de livros para crianças (o livro “In Search of Unicorns”, citado ao longo do filme, é da sua própria autoria e o primeiro de vários que a actriz virá a publicar) no filme “Images”, que em Maio se estreia no Festival de Cannes e lhe dá o prémio da melhor actriz do certame. Expressando-se fluentemente em francês, Susannah é convidada para o mesmo Festival como membro do júri da edição de 1979, depois de no ano anterior ter personificado, juntamente com Marlon Brando, os progenitores de Superman.
Susannah York distribuiu a sua brilhante carreira também pelo teatro e pela televisão, tendo entrado em dezenas de peças, séries e filmes televisivos. Foi sempre uma actriz cheia de energia, que se dedicava de corpo e alma ao trabalho. A sua última aparição em cima de um palco foi em Agosto de 2010, na peça “Quartet”, de Ronald Harwood. Foi ainda uma apoiante incondicional da Campanha para o Desarmamento Nuclear e de Mordechal Vanunu, o dissidente israelita preso durante 18 anos por ter revelado o programa secreto de Israel sobre a fabricação de armas nucleares. Em Junho de 2007, em Tel Aviv, após a representação de “The Loves of Shakespeare’s Women” no Teatro Cameri, Susannah dedicou o espectáculo a Vanunu, o que dividiu a plateia entre aplausos e assobios. Era mãe de dois filhos e divorciada desde 1976, após um casamento de 16 anos. A 14 de Janeiro de 2011, seis dias após ter completado 72 anos, Susannah York faleceu, vítima de um cancro ósseo, no Hospital Royal Marsden de Londres.   


FILMOGRAFIA:

2009 – The Calling
2008 – Franklyn / Colisão entre Dois Mundos
2006 – The Gigolos
2003 – Visitors
2002 – The Book of Eve
1997 – So This Is Romance?
1997 – Loop
1993 – The Higher Mortals
1993 – Piccolo Grande Amore / Um Pequeno Grande Amor
1990 – Fate
1989 – En Händfull Tid
1989 – Melancholia / Melancolia
1988 – A Summer Story / Uma História de Verão
1988 – Just Ask for Diamond
1987 – Mio Min Mio
1987 – Prettykill / Noite em Nova Iorque
1987 – Barbablú, Barbablú
1983 – Yellowbeard / As Loucas Aventuras de Barba Amarela, o Pirata
1982 – Alicja
1981 – Loophole / A Brecha
1980 – Superman II / Super-Homem II
1980 – Falling in Love Again / Começar de Novo
1980 – The Awakening / A Maldição do Vale dos Faraós
1978 – Superman / Super-Homem
1978 – Long Shot
1978 – The Silent Partner / Amigo Desconhecido
1978 – The Shout / O Uivo
1976 – Eliza Fraser
1976 – Sky Riders / Os Cavaleiros do Céu
1975 – Conduct Unbecoming / A Honra do Regimento
1975 – That Lucky Touch
1975 – The Maids / As Criadas
1974 – Gold / Ouro
1972 – Images / A Sombra do Duplo Amante
1972 – Zee and Co. / X, Y e Z
1971 – Happy Birthday, Wanda June
1971 – Jane Eyre
1970 – Country Dance / Jogo na Escuridão
1969 – They Shoot Horses, Don’t They? / Os Cavalos Também Se Abatem
1969 – Battle of Britain / A Batalha de Inglaterra
1969 – Lock Up Your Daughters! / Fechem-nas a 7 Chaves
1969 – Oh! What a Lovely War
1968 – The Killing of Sister George / Três Mulheres na Intimidade
1968 – Duffy / Uma Incógnita Chamada Duffy
1968 – Sebastian
1966 – A Man For All Seasons / Um Homem Para a Eternidade
1966 – Kaleidoscope / Caleidoscópio
1965 – Sands of the Kalahari / As Areias Ardentes do Kalahari
1964 – The Seventh Dawn / A Sétima Alvorada
1963 – Tom Jones / Tom Jones, Romântico e Aventureiro
1962 – Freud, The Secret Passion / Freud, Além da Alma
1961 – The Greengage Summer
1960 – There Was a Crooked Man / Pequeno Homem, Grande Norman
1960 – Tunes of Glory / Uma Vez… Um Herói

1 comentário:

JC disse...

Susannah York protagonizou uma razoável, mas um pouco "lamechas", série de TV que passou em Portugal na 1ª metade dos anos 80: "We'll Meet Again". "The Shout", de Jerzy Skolimowski é tb um estranho filme que vale a pena ver.