sexta-feira, maio 06, 2011

THE NEW DAUGHTER (2009)

A NOVA FILHA
Um filme de LUIS BERDEJO




Com Kevin Costner, Ivana Baquero, Samantha Mathis, Gattlin Griffith, Erik Palladino, Noah Taylor, James Gammon


EUA / 108 min / COR / 16X9 (2.35:1)


Estreia nos EUA a 18/12/2009
Estreia em Portugal a 21/10/2010




How Far Will A Father Go To Protect The Ones He Loves?

“The New Daughter” é uma inesperada surpresa no género do fantástico, começando logo pela inclusão de um nome como Kevin Costner, uma super-estrela muito pouco vista neste tipo de filmes (que me lembre o único registo similar, numa carreira de quase 50 títulos, será o filme “Mr. Brooks”, de 2007). Temos também aqui uma estreia na longa-metragem do espanhol Luis Berdejo, conhecido sobretudo por ter escrito os argumentos dos filmes “[Rec]” (2007) e “Quarantine” (2008). E ambos, actor e realizador, contribuem decisivamente para que a visão deste filme seja uma agradável experiência.
A história começa como tantas outras, com a chegada de uma família a uma nova casa no campo, situada em local isolado e convenientemente afastada da cidade mais próxima. No caso presente essa família é constituída por um escritor, John James (Kevin Costner) e os seus dois filhos; Sam (Gattlin Griffith) e Louisa (a catalã Ivana Baquero, a Ofelia do "Labirinto do Fauno"), uma adolescente em fase problemática. A mudança de ares e de vida teve origem no abandono do lar por parte da mãe das crianças, a qual, para além da acção de divórcio, resolveu de igual modo prescindir dos dois filhos entregando-os à custódia do pai.
Mas contrariamente a muitas outras histórias do género, o perigo não se situa no interior da mansão mas sim no bosque que a envolve e onde um estranho montículo de terra irá ter papel de destaque (e de influência, pois virá a estabelecer uma relação possessiva com a sexualidade de Louisa). Os esforços de John em suavizar ao máximo as mazelas resultantes da separação começam a revelar-se inúteis junto à filha mais velha. De início as causas são atribuídas aos problemas característicos da puberdade, mas pouco a pouco a personalidade de Louisa vai evidenciando sinais mais inquietantes, em simultâneo com o eclodir  de estranhos ruídos, um pouco por todo o lado. Entretanto John vem a descobrir a existência de factos antigos ocorridos naquela mesma casa e vai tentar esclarecê-los junto do antigo proprietário. Contrata uma mulher para tomar conta dos filhos durante a sua ausência, mas, quando regressa, a baby-sitter desapareceu misteriosamente, sem deixar rasto.
Berdejo privilegia o mistério e o suspense em vez de recorrer ao gore mais explícito, tão em voga neste tipo de filmes. As mortes que se vão sucedendo são mais sugeridas do que graficamente expostas e a tensão segue sempre em crescendo até um final em que o horror enfim se liberta em toda a sua perversidade. Existem alguns clichés ao longo do filme mas felizmente não há aqui lugar à piada fácil e de mau gosto, tão comum no género. Na sua curiosa simbiose de drama, thriller e terror, “The New Daughter” não ficará certamente como uma referência obrigatória, mas é sem dúvida um filme honesto, recheado de boas ideias, com uma belissima e luminosa fotografia assinada por Checco Varese e que atinge o seu principal objectivo - o de provocar alguns pesadelos às plateias mais sugestionáveis.

4 comentários:

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Triste fim de Kevin Costner. Dá pena.

O Falcão Maltês

Daniele Moura disse...

Rato, sumiu lá do blog...Dá uma passadinha por lá!
www.telaprateada.blogspot.com

Abraço
Dani

Rato disse...

Não sumi nada, Daniele, sempre arranjo um tempinho para passar por lá.

José Morais disse...

Não concordo, ANJ, Costner continua sendo um bom actor (não é dos melhores, isso não coloco em dúvida) e sentindo-se sempre à vontade em qualquer tipo de filmes.